O GAIR

O GRUPO ASSISTENCIAL IRMÃO ROMANO G.A.I.R

O Grupo Assistencial Irmão Romano, é uma associação civil fundada nos termos do Art. 53 da Lei n 10406/2002,  com o CNPJ  04.285.711/0001-00,   de cunho filantrópico , sem fins econômicos,  e apartidário, tem como principal foco o trabalho assistencial e ajuda humanitária às famílias em situação de exclusão social e de risco, prestando assistência social, psicológica e material as mesmas, visando a promoção da cidadania, resgatar a auto estima e a inclusão social.

Também é preocupação constante do G.A.I.R. , a formação moral , ética e o crescimento espiritual de seus colaboradores e frequentadores da casa, através de cursos, palestras e estudos filosóficos.      

ASSISTÊNCIA SOCIAL

Graças ao trabalho voluntario de muitos e a doação de diversos gêneros, por pessoas e empresas caridosas, o G.A.I.R.  atende a cerca de 300 familias com pouca ou nenhuma renda, através da distribuição  de cestas básicas, fraldas, leite, remédios e outros artigos de primeira necessidades.  Por ano são doados mais de 160 toneladas de alimentos a estas famílias.

 

01

Os trabalhos assistenciais da casa  não se restrigem apenas a estas distribuições.  Com a colaboração de uma equipe de profissionais voluntários,  o G.A.I.R. desenvolve uma serie de atividades durante a semana: consulta oftalmológica, aquidade visual e distribuição de óculos; psicoterapia, acumpultura, fisioterapia, cursos para gestantes e confecção de fraldas. O Grupo conta ainda com um equipado consultório odontológico e profissionais da área para o atendimento aos assistidos.       

 

/   ATIVIDADES ASSISTENCIAIS
 
 
+
+
+
+
+
+

ASSISTÊNCIA ESPIRITUAL

01

/  ATENDIMENTOS E REUNIÕES PÚBLICAS

02

/  ATENDIMENTO FRATERNO

ASSISTÊNCIA SOCIAL

Trata-se de um trabalho solidário e fraternal, que visa esclarecer, orientar, ajudar ou consolar, com base na Doutrina Espírita e no Evangelho de Jesus, todas as pessoas que buscam elucidações ou amparo às suas aflições e perturbações.

O atendimento se dá através de conversas individuais de uma forma amiga e carinhosa, respeitando o livre arbítrio de cada um, tentando orientá-las na busca do equilíbrio físico e espiritual. Em nenhum momento são prometidas curas milagrosas ou resultados espetaculares. Também não se tem a pretensão de resolver os problemas ou desaparecer  com os sofrimentos, mas sim contribuir para o despertar das potencialidades do indivíduo para que possa ter força na superação deste obstáculos. Seguindo os ensinamentos de Jesus, ele nos ensina: “AJUDA-TE A TI MESMO E O CÉU TE AJUDARÁ”

Após a entrevista, as pessoas são convidadas a receberem os passes adequados a necessidade de cada um e a assistirem as palestras públicas ministradas pela casa.

 

Quando começamos a assistir às reuniões públicas, nos chamam atenção os oradores ou palestrantes espíritas no desempenho de suas exposições doutrinárias. Será que têm alguma formação especifica, de forma semelhante aos monges, padres ou pastores? Qualquer um pode assumir essa incumbência de falar em público? Que preparação precisam ter? Essas dúvidas, dentre outras, são pertinentes e requerem alguns esclarecimentos preliminares, para que o Espiritismo e, por extensão, a prática espírita sejam compreendidos .

Como diz um antropólogo, especializado no estudo das religiões, "o Espiritismo firmou-se como uma religião sem clero, com forte autonomia em suas bases". Dito de outra forma, sem haver uma hierarquia subordinando as instituições espíritas a um poder central, tem-se uma "religião de leigos", formada por pessoas comuns, como donas de casa, médicos, estudantes, pedreiros, professores, bancários, militares, advogados, manicures, aposentados, etc.

Não há um perfil ideal. Em princípio, qualquer pessoa pode assumir a tarefa de expositor. No entando, o que o distingue para tal função é a sua identificação com os propósitos espíritas, sua vontade de estudar e de compreender a doutrina e facilidade em transmitir os seus conhecimentos com didática, sinceridade, entusiasmo e, acima de tudo, muita humildade. Certamente é interessante constatar que a nobre tarefa de levar ao público a mensagem cristã, juntamente com os ensinamentos espíritas, exige do palestrante preparo, aptidão, abnegação e esforço para ser portador de bons exemplos daquilo que se propõe dissertar.

/  O PALESTRANTE ESPÍRITA

02

O ambiente onde será realizada a reunião pública é preparado previamente no plano espiritual pelos Benfeitores espirituais participantes da tarefa. Cabendo aos trabalhadores e frequentadores, colaborar  também na preparação e manutenção da ambiência no plano material, procurando manterem-se em  silêncio e em oração deixando se conduzir pela suavidade e paz da música que normalmente é tocada antes da palestra começar.

01

/  A AMBIÊNCIA DA REUNIÃO

 

Destinadas ao público em geral, sua finalidade é promover e divulgar a Doutrina Espírita em seus aspectos científico, filosófico e religioso. Através de palestras e exposições. Tais ensinamentos, permitem que as pessoas e os espíritos desencarnados, possam encontrar o amparo, o consolo e respostas para as suas dores,  sofrimentos e dificuldades e os esclarecimentos sobre o real sentido da vida.

Além dos frequentadores e dos temas doutrinários, os principais componentes de uma reunião pública são a ambiência física e espiritual do local da reunião, o palestrante, os tarefeiros ou trabalhadores voluntários, os passes, e a água fluidificada.

 

/  O TAREFEIRO ESPÍRITA

O que significa ser tarefeiro espírita? O que significa receber esta oportunidade bendita que o Pai  nos oferece?

Mais que  um privilégio é uma oportunidade  para construirmos hoje, o nosso amanhã.

É  responsabilidade, é compromisso, é trabalho!

As dificuldades existem  e fazem parte, para provarmos a nós mesmos que estamos dispostos a sair do casulo que nos prende, libertando-nos para realizarmos as tarefas que nos são colocadas à frente para ajudar, fraternalmente, àqueles que ainda não tiveram a luz a iluminar o seu caminho.

Ser tarefeiro espírita é trabalhar com felicidade, é ajudar com alegria no coração, é servir sem impor condições a não ser trabalhar!  É estudo, mais do que isto, é reflexão sobre o que está aprendendo, para poder colocar em prática.

O tarefeiro é um servidor, é um operário do amor, do bem, e como tal, não exige nada, ele dá!  Ele não espera, ele faz!  Ele não aguarda, ele vai!

Não suponhas porém, que pelo fato de estarem ligados a esta casa, os tarefeiros que encontrares estão isentos de provas e dificuldades. Assim como tu, eles lutam e sofrem, esforçando-se para superar a si mesmos, dentro dos problemas do mundo.

REUNIÕES PÚBLICAS

03

O PASSE

 

O passe na casa espírita representa um bom recurso de auxílio às pessoas que estejam enfermas, ou desgastadas emocionalmente ou, ainda, sob assédio de maus espíritos.

Se dá através  da transmissão de energia magnética e espiritual por meio de imposição de mãos. O passista, desejando ajudar alguém com o passe, atrai a assistência de bons espíritos, que o auxiliam a direcionar os fluidos para o assistido. Se o assistido estiver receptivo, sua mente adere à idéia de trabalho restaurativo e começa a sugeri-lo a todas as células do corpo físico.

Ao aplicar o passe, o passista transmite não só energias próprias, mas também, energias retiradas do Fluído Cósmico Universal, manipuladas pelos espíritos superiores, que também auxiliam na transmissão dessas energias irradiantes. Tem duração media de um minuto, onde os médiuns passistas fazem, em pensamento, orações rogando o amparo de Jesus àqueles que estão recebendo os fluidos. Não existe nenhum milagre no ato, nem os médiuns trabalham incorporados pelos Espíritos. O passistas apenas recebem Sua salutar influência, mental e fluídica, e a repassa ao receptor.

Não é a única atividade nem a mais importante na casa espírita e deve estar sempre associado à tarefa de esclarecimento e orientação doutrinária do assistido, porque o objetivo primordial do Espiritismo é o progresso intelecto-moral da humanidade e não o simples e momentâneo alívio de seus males.

 

É um erro comum achar que a eficiência do passe depende apenas do médium passista.

O primeiro ponto é a receptividade, a sintonia de quem recebe o passe. Tranquilizar-se, pensar no bem, não sentir quaisquer sentimentos como os de rancor, de vingança ou vaidade, ter fé na bondade de Deus, confiando na misericórdia divina, e orando silenciosamente, pedindo que sejam proporcionadas as bênçãos de que precisamos, para prosseguirmos vivendo e cumprindo nossos deveres para com Deus, conosco mesmo e com o próximo. O passe nos fortalecerá fluidicamente e a prece atrairá o amparo dos bons espíritos, como ajuda misericordiosa de Deus, para que tenhamos o equilíbrio e boa disposição para viver.

No dia do passe,também recomenda-se ao paciente,  não se exceder na alimentação, procurando fazer uso de alimentos mais leves, como carne de frango ou peixe. Se possível, evite a alimentação carnívora de qualquer espécie. Estando menos sobrecarregado, o organismo poderá receber convenientemente os fluidos benéficos. De igual maneira, recomenda-se abster-se o maior intervalo de tempo, tanto antes quanto depois do passe, de bebidas alcoólicas e do fumo.

/ PREPARAÇÃO PARA O PASSE

01

Mas, o que fará você estar protegido no seu dia-a-dia, serão o bem que você pensar e fizer,

porque a justiça divina só dá a cada um segundo as suas obras.

Os ensinamentos de Jesus nos alertam para estarmos continuamente nos vigiando para com as nossas imperfeições, tornando-as menos ativas na criação de desequilíbrios orgânicos e espirituais. Ao mesmo tempo, devemos atuar preventivamente através oração sincera, para recebermos do Alto a influenciação benéfica de nossos benfeitores espirituais

 

/ DEPOIS DO PASSE

02

ÁGUA FLUIDIFICADA

/ O QUE É ÁGUA FLUIDIFICADA?

01

02

/ QUEM FAZ A FLUIDIFICAÇÃO DA ÁGUA?

Em geral, são os Espíritos desencarnados que, durante as sessões de fluidoterapia, fluidificam a água, mas a água pode ser magnetizada tanto pelos fluidos espirituais quanto pelos fluidos dos homens encarnados, assim como ocorre com os passes, sendo necessário, para isso, da parte do indivíduo que irá realizar a fluidificação, a realização de preces e a imposição das mãos, a fim de direcionar os fluidos para o recipiente em que se encontrar a água.

 

A água é um dos corpos mais simples e receptivos da Terra. É como que a base pura, em que a medicação Espiritual pode ser impressa. O processo é invisível aos olhos mortais, por isso, a confiança e a fé do paciente são partes essenciais para que tratamento alcance o efeito desejado. A água é um ótimo condutor de força eletro-magnética e absorverá os fluidos sobre ela projetados, conserva-los-á e os transmitirá ao organismo doente, quando ingerida. A água fluidificada expande os átomos físicos, ocasionando a entrada de átomos espirituais, ainda desconhecidos, e que servem para ajudar na cura.

 

03

/ COMO É FEITA A FLUIDIFICAÇÃO DA ÁGUA?

A água fluidificada é a água normal, acrescida de fluidos curadores. Em termos de Espiritismo, entende-se por água fluidificada aquela em que fluidos medicamentosos são adicionados à água. É a água magnetizada por fluidos.

 

PRECES E VIBRAÇÕES

Vibrações significam as projeções do pensamento ou do sentimento, as forças, as energias que conseguimos emanar, exteriorizar, fazer sair de nós. Sempre que fazemos uma preçe ou oramos, estamos gerando vibrações.

 

/ O QUE SÃO

01

A prece torna melhor o homem. Aquele que ora com fervor e confiança se faz mais forte contra as tentações do mal e Deus lhe envia bons Espíritos para assisti-lo. É este um socorro que jamais se lhe recusa, quando pedido com sinceridade.

 

02

/ PARA QUE SERVEM

Quando vibramos podemos influir sobre o ambiente e as pessoas, beneficiando-as.

Quem abre o pensamento e o coração para doar, imediatamente renova, também, o seu próprio ser ( pensamentos, sentimentos e fluidos) e se torna canal e zona atrativa para forças benéficas ( “ é dando que se recebe “).

 

Primeiramente, concentrar-se; isto é, desligar os sentidos do ambiente externo, orientar a mente para o mundo íntimo e fixar o pensamento num ponto superior de interesse.

Estando assim concentrado, procurar emitir, irradiar bons pensamentos e sentimentos, em favor da pessoa a ser beneficiada..

 

/ COMO REALIZÁ-LAS

03

/ A VIBRAÇÃO COLETIVA

04

Deposite Sua Vibração, Oração, Pedido ou Prece   e mentalize a pessoa ou espírito que está com necessidade, e preencha os dados dela mentalizando-a (preencha as que você souber) e faça uma pequena oração para ela.

A sua mentalização será enviada aos mentores do plano espiritual e encaminhados aos departamentos competentes.

É uma Vibração que está sendo feita, não é tratamento, portanto não deixe de frequentar o centro espírita, pois é lá que você recebe o tratamento espiritual adequado para poder ajudar os mais necessitados. 

 

/ CAIXA DE VIBRAÇÃO

05

As radiações podem ser feitas por um grupo de pessoas. Então, são mais fortes, porque representam a soma das energias de todos que estão participando.

Nas radiações coletivas, se cada participante ficar egoisticamente interessado em vibrar só para si mesmo ou os seus, não haverá doação verdadeira de ninguém e, consequentemente, ninguém terá o que receber.

Mas se todos doarem fluidos, generosa e desinteressadamente, os bons espíritos terão condições de trabalhar com esses fluidos, combinando-se e redistribuindo-os entre os presentes e outras pessoas ( encarnadas ou não ).